Xiaomi revela o “ponto fraco” do seu carregador HyperCharge de 200W

Uma carga completa em 8 minutos – este foi o grande chamariz do sistema de carregamento HyperCharge da Xiaomi, que foi apresentado ao final do mês de maio e que deve embarcar com o vindouro Mi Mix 4.

Com tanta potência assim, obviamente, alguns usuários ficaram preocupados em relação à longevidade dos módulos e, pelo que parece, as suspeitas de muitos estavam corretas: a bateria se degrada mais rápido.

Em uma sessão de perguntas e respostas a empresa foi questionada sobre a segurança da bateria com o uso do HyperCharge, e a chinesa revelou o que parece ser o “ponto fraco” da tecnologia.

De acordo com a explicação, as baterias carregadas com o recurso em questão devem perder por volta de 20% da capacidade depois de 800 ciclos de carga – ou seja, com aproximadamente 2 anos de uso.

Em um cálculo rápido é como se uma bateria com 5.000 mAh virasse uma de 4.000 mAh – mas ainda assim, a Xiaomi diz que as autoridades chinesas exigem que pelo menos 60% da capacidade seja retida após 400 ciclos, então, aparentemente não há muito com o que se preocupar.

Não tem para onde correr, a degradação das baterias com o tempo de uso é algo natural e, eventualmente, os módulos precisam ser substituídos para dar uma sobrevida aos dispositivos.

Quando paramos para pensar, até que 2 anos de uso com 20% a menos não é um tempo tão ruim, não é verdade? Quanto tempo você costuma passar com o mesmo celular? Compartilhe suas experiências de uso com o TudoCelular no espaço abaixo destinado a comentários!

Continuar lendo >>