unsighted:-conheca-a-alma-do-indie-brasileiro

UNSIGHTED: conheça a alma do indie brasileiro

UNSIGHTED é um metroidvania criado pelas brasileiras Tiani Pixel e Fernanda Dias, do estúdio independente Pixel Punk. Com uma nota média de 86 no Metacritic (nas versões de PC, Nintendo Switch e de Xbox One), o game é um sucesso no Brasil e no mundo todo. O game traz mecânicas inovadoras dentro do gênero e uma narrativa emocionante.

  • 10 jogos indies essenciais que você precisa ter na coleção
  • Os jogos eram mais difíceis antigamente?

O Canaltech conversou com as duas desenvolvedoras de UNSIGHTED para entender um pouco mais sobre o processo do jogo e mostra a seguir mais detalhes sobre este incrível game indie brasileiro.

Pane no sistema, alguém me desconfigurou

Primeiro, vamos falar sobre o contexto em que tudo acontece.


Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Em um futuro distópico, há apenas androides circulando na Terra. Chamados de autômatos, eles se abastecem de Anima, uma substância que garante a sua sobrevivência. Porém, caso ela não seja consumida regularmente, os robôs se tornam Unsighted e começam a caçar outros sintéticos para sobreviver.

 

Nesse cenário, controlamos Alma, uma robô que acorda em um laboratório, sem se lembrar do próprio passado. Aos poucos, suas memórias vão voltando e ela se lembra de Rachel, sua antiga paixão que deve ser reencontrada a todo custo.

Avançando um pouco na trama, descobrimos um ponto crucial que é um dos grandes destaques de UNSIGHTED: o tempo. Por conta da escassez de Anima, os personagens estão com poucos dias e horas de vida (alguns tem mais de 100 horas, outros pouco menos de 10h). Caso o jogador demore muito no enredo principal, alguns NPCs (personagens não jogáveis) queridos podem se transformar nas criaturas maléficas.

Tempo restante de alguns NPCs de UNSIGHTED (Imagem: Captura de Tela/Guilherme Sommadossi/Canaltech)

Na aventura, ainda é possível encontrar o Pó de Meteoro, um item que aumenta o tempo de vida dos autômatos em 24 horas. No entanto, esse recurso não é abundante e algumas vezes você terá que escolher entre salvar um androide e não outro.

Para salvar todos os robôs e evitar a destruição de Arcadia, Alma deve explorar a região e derrotar os chefões para avançar na trama.

Parafuso e fluído em lugar de articulação

Descobrindo cada canto do local, o jogador encontrará chips para melhorar diversas habilidades. Nem todos podem ser usados e é preciso gerenciar o que importa mais. Assim, é possível jogar com itens que combinam mais com seu estilo de jogo — algo que eu, particularmente, adoro.

O combate também é ótimo, com diversas formas de ataque, graças as espadas e armas de fogo, que permitem que você desvie quando está cercado e até bloqueie os ataques inimigos na última hora (que gera rebotes ainda mais fortes). O game conta com um sistema de crafting para criar projetos de armas e melhorias a partir de itens coletados.

Com todas essas possibilidades, é possível ter diferentes experiências, tornando alguns chefões mais fáceis do que o imaginado, mas também colocando o jogador em algumas situações complicadas.

Nada é orgânico, é tudo programado

“Nós somos bem transparentes com as nossas inspirações. Fizemos um jogo que tem a nossa interpretação de elementos de vários outros que nos inspiram, como a série Zelda, Metroid e Dark Souls”, disseram Tiani e Fernanda em resposta conjunta ao Canaltech, quando questionadas sobre suas inspirações.

As devs explicam também que a ideia não nasceu da vontade de fazer um metroidvania, mas dadas as escolhas de mecânicas e o estilo, UNSIGHTED acabou entrando nesse gênero.

Os grandes chefes de UNSIGHTED são, literalmente, grandões perto da Alma (Imagem: Divulgação/Humble Games)

Assim como a vida, o game é “sobre tomar várias decisões e viver com as consequências dessas decisões. O jogo é inteiro pensado em cima desse conceito. Uma pessoa jogando terá de fazer escolhas o tempo todo, e elas têm consequências mecânicas e narrativas”, reforça a dupla.

No processo de criar um filme, uma música e um videogame, muito de cada artista é transportado para a obra, e em UNSIGHTED isso não foi diferente. “Vários dos nossos valores, do nosso jeito de enxergar as coisas se refletem no jogo. Um grande aspecto é a esperança em face da adversidade: no nosso jogo é sempre possível jogar de novo e fazer melhor, ajudar mais pessoas e causar mais bem no mundo”, contam as criadoras.

Reinstalar o sistema

Assim como os estúdios que fazem jogos de grande orçamento (e o mundo como um todo), o Pixel Punk também teve problemas no desenvolvimento durante a pandemia da covid-19. Por conta do vírus e do isolamento social, Fernanda e Tiani dizem que isso afetou o psicológico delas e “influenciou bastante a produção do jogo”.

As semanas do período de lançamento foram turbulentas também, com trabalhos constantes na correção de bugs e outros erros técnicos, além do gerenciamento das redes sociais e outras páginas.

Adivinhem quem acordou classificado como “Extremamente Positivo” no Steam! Obrigado a todos por jogar UNSIGHTED!

O pós-lançamento trouxe os merecidos louros. “O feedback dos jogadores tem sido incrível, é muito legal ver tantas pessoas jogando o jogo, descobrindo todos os detalhes que colocamos com muito carinho”. No entanto, as desenvolvedoras fazem uma crítica à indústria como um todo. “O jogo repercutiu bastante, mas ainda é um pouco frustrante se comparar com produções que ganham muito mais destaque na mídia”, desabafam.

UNSIGHTED também utiliza muito a linguagem neutra para se referir a personagens de gênero não binário (Imagem: Captura de Tela/Guilherme Sommadossi/Canaltech)

Lá vem eles novamente?

Sempre que um game é lançado, parte da comunidade fica sedenta por conteúdos adicionais. Histórias de outros personagens, mais missões, itens e por aí vai. Para UNSIGHTED, as duas desenvolvedoras são bem precisas para responder essa possibilidade: “por enquanto não, mas no futuro, quem sabe.”

Infelizmente, tanto UNSIGHTED quanto Dodgeball Academia, dois grandes indies brasileiros de 2021, ficaram de fora do The Game Awards, a maior premiação da indústria e que o Canaltech faz parte do júri. Em novembro de 2021, o game de Tiani e Fernanda recebeu o (merecido) prêmio Excellence in Storytelling (excelência em narrativa, em tradução livre) no Latinx Games Festival.

Temos a honra de aceitar este prêmio do @LatinxGamesFest! Obrigado a todos, e um agradecimento especial à Amelia Molino por ter ajudado tanto na escrita de UNSIGHTED!

UNSIGHTED está disponível para PC, PlayStation 4, Nintendo Switch e Xbox One e também faz parte do Game Pass, graças a parceria entre a distribuidora Humble Games e a Microsoft.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

  • Veja os benefícios que todo MEI tem direito e pouca gente sabe
  • WhatsApp finalmente recebe um criador de figurinhas nativo, mas há um porém
  • Garimpeiro procurava ouro mas acabou encontrando um meteorito ainda mais valioso
  • Harry Potter e a Pedra Filosofal | Veja como está o elenco 20 anos depois
  • 10 atores de Harry Potter que já morreram