tecido-inteligente-torna-possivel-a-comunicacao-entre-pecas-de-roupa

Tecido inteligente torna possível a comunicação entre peças de roupa

Pesquisadores da University of California (UCI), nos Estados Unidos, desenvolveram um novo tecido que permite a comunicação digital entre dispositivos próximos. Eles integraram metamateriais em pedaços têxteis flexíveis, criando um sistema de interação sem bateria entre peças de roupa.

  • Tecido inteligente e que dispensa uso de bateria pode revolucionar os vestíveis
  • Tecido inteligente pode ajudar pessoas a respirarem melhor

Essas tiras de pano aproveitam as propriedades da tecnologia de comunicação de campo próximo (NFC, da sigla em inglês) para “conversar” com outros objetos, permitindo, por exemplo, que seja possível dar partida em um carro no momento em que o usuário entra no veículo e o dispositivo costurado em sua jaqueta é reconhecido pelo sistema embarcado no automóvel.

“Se você segurou seu smartphone ou cartão de crédito perto de um leitor para pagar uma compra, você já aproveitou as vantagens do sistema NFC. Agora, nós aumentamos o alcance, então, você pode manter o telefone no bolso e, ao encostar seu corpo em outros tecidos, a energia e as informações são transferidas para o seu dispositivo”, explica o professor de engenharia elétrica Peter Tseng, coautor do estudo.


Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.

Interação digital por proximidade

Segundo os engenheiros da UCI, essa invenção permite que os usuários interajam digitalmente com dispositivos eletrônicos apenas se aproximando deles. O sistema possibilita que novos segmentos sejam adicionados para que peças de roupas separadas possam ser combinadas para conversar umas com as outras.

Sistema NFC acoplado ao tecido inteligente (Imagem: Reprodução/UCI)

Para aumentar o alcance do protocolo de comunicação NFC para quase dois metros, os cientistas utilizaram metamateriais magnéticos passivos fabricados com folhas de cobre e alumínio. Essa abordagem faz com que as faixas do tecido inteligente possam ser costuradas em materiais flexíveis, como a manga de uma camiseta.

“Com nosso tecido, os eletrônicos estabelecem uma comunicação instantânea para que você possa compartilhar informações com um simples aperto de mão. Você não precisaria mais destrancar manualmente seu carro com uma chave ou dispositivo sem fio separado. Seu corpo se tornaria a própria chave”, acrescenta o estudante de engenharia Amirhossein Hajiaghajani, autor principal do estudo.

Caimento perfeito

A invenção foi projetada para ser altamente flexível, tolerando a ampla variação de movimentos do corpo humano. Como os sinais viajam por meio de indução magnética — sem conexões e fios rígidos — é possível implantar o tecido em peças de tamanhos e características totalmente diferentes.

Tiras flexíveis podem ser costuradas em qualquer tipo de roupa (Imagem: Reprodução/UCI)

Em roupas esportivas, por exemplo, as calças podem medir os movimentos das pernas enquanto se comunicam com a parte de cima do vestuário, que monitora a frequência cardíaca ou o gasto calórico. Já no campo da medicina, o tecido poderia integrar roupas de pacientes acamados para avaliar sinais vitais durante uma internação de longo prazo.

“Os materiais envolvidos no sistema são de baixo custo, fáceis de fabricar e personalizar. Além disso, eles podem ser colados em roupas já existentes, sem a necessidade de comprar uma peça de alta tecnologia totalmente nova e cara. Criamos um tecido que pode dar um novo sentido aos vestíveis eletrônicos”, comemora Amirhossein Hajiaghajani.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

  • 10 atores de Harry Potter que já morreram
  • Garimpeiro procurava ouro mas acabou encontrando um meteorito ainda mais valioso
  • Nosso cérebro encolheu ao longo dos últimos milênios; o que isso significa?
  • BARATINHO | Fone Bluetooth Galaxy Buds Pro entra em oferta na Fast Shop
  • Lua Fobos poderia ajudar a criar campo um magnético artificial em Marte; entenda