Taxas de títulos do Tesouro Direto têm leve alta em dia de decisão do Copom

[ad_1]

SÃO PAULO – As taxas oferecidas pelos títulos públicos negociados via Tesouro Direto apresentavam leve alta na abertura dos negócios desta quarta-feira (16), em dia de decisão do Comitê de Política Monetária (Copom). A expectativa unânime do mercado financeiro é de aumento de 0,75 ponto da Selic, para 4,25% ao ano.

É o que mostra levantamento feito pela XP com 40 gestores de estratégia multimercado macro, que revela também que a projeção mediana dos consultados para a taxa Selic ao fim de 2021 aumentou de 5,50% para 6,50% ao ano.

No Tesouro Direto, o título indexado à inflação com vencimento em 2026 pagava uma taxa anual de 3,59% nesta manhã, contra 3,56% na tarde de terça-feira (15). Da mesma forma, o prêmio pago pelo Tesouro IPCA+2035 subia de 4,12% para 4,14% ao ano.

Entre os títulos com retorno prefixado, o papel com juros semestrais e vencimento em 2031 pagava uma taxa anual de 9,14% nesta manhã, ante 9,12% na sessão anterior, enquanto a taxa anual paga pelo Tesouro Prefixado 2026 era de 8,43% ao ano, ante 8,42% anteriormente.

Confira os preços e as taxas atualizadas de todos os títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto nesta quarta-feira (16):

Fonte: Tesouro Direto

Bolsa Família

Ainda entre os destaques do dia no âmbito doméstico, a atenção dos investidores se volta para a fala de Jair Bolsonaro sobre o Bolsa Família. Ontem, o presidente afirmou que o programa reformulado pagará R$ 300 em média para os beneficiários. O valor é, contudo, maior do que está sendo gestado dentro do próprio governo. Na segunda-feira, os jornais destacavam que o valor médio do benefício deveria ser em torno de R$ 250.

Já no noticiário de coronavírus, o ex-secretário de Saúde do Amazonas Marcellus Campêlo disse ontem, à CPI da Pandemia, que telefonou no dia 7 de janeiro ao então ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, para avisar da crise de falta de oxigênio em Manaus. Isso contradiz as informações dadas por Pazuello aos senadores.

Em seu depoimento à CPI, Pazuello havia alegado que ficara sabendo da crise apenas no dia 10 de janeiro, apesar de documentos do Ministério da Saúde enviados à comissão mostrarem que o aviso fora feito de fato no dia 7.

Ontem, o ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu ao ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, o direito de não comparecer à CPI da Covid, como estava previsto para esta quarta pela manhã.

Witzel sofreu impeachment, e responde por suspeita de corrupção e desvio público da área da saúde em sua gestão durante a pandemia de Covid.

Decisão de juros nos EUA

Assim como no Brasil, investidores monitoram nos Estados Unidos a reunião de política monetária do Federal Reserve (o banco central americano).

Não é esperada uma mudança na política na instituição nesta data, mas investidores aguardam por sinais sobre mudanças mais à frente, entre elas a redução da compra de títulos.

Às 15h (horário de Brasília), o banco central americano divulga a ata da reunião, seguida de declarações do presidente da instituição, Jerome Powell, às 15h30.

As previsões da instituição podem indicar uma alta na taxa de juros referenciais em 2023. Anteriormente, autoridades do Fed não haviam chegado a um consenso sobre o assunto.

Na China, foram divulgados ontem dados indicando alta de 8,8% na produção industrial em maio, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O patamar ficou abaixo dos 9,8% de abril, e representou uma leve frustração frente a expectativa de analistas ouvidos pela Reuters, de alta de 9% na comparação anual.

Já as vendas no varejo aumentaram 12,4% em maio na comparação anual, frente à previsão de alta de 13,6% de analistas ouvidos pela Reuters.

As estratégias dos melhores investidores do país e das melhores empresas da Bolsa, premiadas num ranking exclusivo: conheça os Melhores da Bolsa 2021



[ad_2]

Continue lendo