Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

Seinfeld, Bel-Air e Love Death + Robots


No episódio desta semana do ShowmeCAST, Arthur Pieri e Letícia Leite recebem o redator de games e cultura pop Felipe Gugelmin, para comentar o que estivemos consumindo em termos de entretenimento nas últimas semanas — com destaques para clássicos da comédia, jogos full motion video, animações aocalípticas e os horripilantes – mas excelentes – filmes de terror.

Resumão do ShowmeCAST #93

ShowmeCAST debate erros e acertos de Seinfeld
Imagem: Seinfeld

Começamos o papo com Seinfeld, uma das comédias mais icônicas do mundo, responsável pela transformação no jeito de se fazer séries, televisão e, acima de tudo, do gênero em si. Frequentemente descrita e por vezes autointitulada como “um show sobre nada”, a obra foi referência para o modelo sitcom e para quase tudo que foi produzido de comédia após ela.

Com mais de 30 anos desde sua estreia, é claro que vão existir piadas que envelheceram mal, mas Arthur e Felipe dão destaque ao encerramento da série, que deu sentido à todos os atos e posicionamentos dos personagens. Depois de nove anos de sucesso comercial e de crítica, Seinfeld acabou em 1998. Todos os episódios das nove temporadas da estão disponíveis na Netflix.

Dinâmicas do jogo são algumas das questões discutidadas sobre o título
Dinâmicas do jogo são algumas das questões discutidadas sobre o título
Imagem: The Centennial Case/Divulgação

Em seguida, Gugelmin conta sobre sua experiência com The Centennial Case, um jogo feito em Full Motion Video, recurso que aplica imagens live-action – de pessoas reais – na narrativa. Produção da Esquare Enix, foi lançado em maio, com a premissa de mistério e aventura, criado em torno do tema da vida eterna. Ah, o objetivo principal é resolver quatro casos de homicídio ocorridos em quatro épocas diferentes. Assim, o jogador precisa juntar pistas, estabelecer uma hipótese e recorrer à lógica para resolver os mistérios. Disponível para Nintendo Switch, PlayStation 4, Microsoft Windows, PlayStation 5.

Série antológica mostra o pior da humanidade e suas criações por meio de diversos estilos de arte
Série antológica mostra o pior da humanidade e suas criações por meio de diversos estilos de arte
Imagem: Love Death + Robots

Fã de animações, Letícia traz a terceira temporada da série antológica Love Death + Robots para a arena do ShowmeCAST. Como em seus episódios antecessores, a temática distópica segue forte, mas com um toque a mais de violência e choque nas belíssimas ilustrações. Com a proposta de apresentar um curta-metragem a cada 20 minutos, as histórias mostram o pior da humanidade ou de suas criações sem muita enrolação.

Com produção de David Fincher (Fight Club, Gone Girl) e Tim Miller (Deadpool), a nova antologia de nove episódios traz de volta os três robôs que fazem um tour um mundo pós-apocalíptico, zombando até mesmo o fracasso de Elon Musk em salvar o planeta Terra. Recomendado para quem lida bem com finais abruptos!

Além disso tudo, o ShowmeCAST também comenta o filme A Bruxa, dirigido por Robert Eggers (The Northman). Entusiasta do terror, Tutu ainda cita outras obras que se equiparam à atmosfera macabra deste longa que coloca a histeria religiosa como centro da narrativa, como Midsommar e Hereditário. A série Bel-Air, versão reimaginada de Um Maluco no Pedaço, e o jogo Ken Follett’s Pillars of the Earth são algumas das recomendações finais do episódio.

Se você curtiu e acompanha nosso trabalho, considere seguir e ativar as notificações do ShowmeCAST, o seu podcast de tecnologia, games, ciência, cultura e muitas curiosidades sobre o que acontece no mundo. O programa está disponível em serviços como o Spotify e Anchor.

Veja também

Se você perdeu o último episódio do ShowmeCAST, confira nosso bate-papo com a participação ilustre do idealizador e editor-chefe do ShowmetechBruno Martinez. Nós comentamos tudo que rolou de mais interessante no mundo da tecnologia, jogos, filmes, séries e eventos nos últimos tempos, incluindo a chegada do novo monitor top de linha da Samsung, Odyssey Neo G9, ao Brasil.





Veja mais