Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

Review JAC E-J7 | Sedan chinês é séria ameaça para marcas premium


O JAC E-J7, sedan 100% elétrico da marca chinesa, pode não ter o pacote recheado de itens de segurança ativa que os rivais de marcas premium oferece, mas não resta dúvidas de que ele chegou ao Brasil para ameaçar tanto concorrentes elétricos quanto a combustão.

De olho em modelos como Audi A4, Mercedes-Benz Classe C e BMW 320i GP, o JAC E-J7 pode, sim, ameaçar o reinado dos sedans de marcas premium nas ruas e avenidas brasileiras.

JAC E-J7 tem no design um dos pontos fortes do modelo (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

A reportagem do Canaltech passou alguns dias com o sedan da montadora chinesa em mãos, e conseguiu observar de perto se tudo o que a JAC prometeu ao apresentar o carro, em Tuiuti, realmente se cumpre ao volante do E-J7.

Prós

  • Design
  • Desempenho
  • Tecnologia
  • Conforto

Contras

  • Itens de segurança
  • Envelopamento do teto
  • Saídas do ar-condicionado

Conectividade e Segurança

Conectividade e segurança são itens que geralmente andam de mãos dadas nos carros, mas, no caso do JAC E-J7, eles resolveram se distanciar. O primeiro, na verdade, está bastante presente, mas o segundo foi meio deixado de lado no pacote disponibilizado para o sedan.

Em termos de conectividade, ela cumpre seu papel com o espelhamento do celular, via cabo, com Apple Carplay e Android Auto. A tela multimídia de 13 polegadas, posicionada na vertical, dá acesso às funções do telefone e também a alguns controles do carro.

Central multimídia de 13 polegadas tem vários controles do carro (Imagem: Divulgação/JAC Motors)

Por meio dela é possível, por exemplo, alterar a cor das luzes internas de LED, que dão um charme especial ao painel e às portas, e podem até mesmo serem configuradas para acompanhar o ritmo da música que estiver tocando.

A central também permite alternar o modo de condução — entre ECO e Sport —, regular o ar-condicionado, limitar a velocidade máxima e muito mais. O cluster, também digital, de 10,4 polegadas, exibe as informações a respeito da carga de bateria, velocidade e mais, e pode variar entre três cores: azul, amarela e vermelha.

Luzes em LED nas portas e no painel “dançam” conforme a música (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Em relação à segurança, no entanto, o E-J7 fica devendo e, talvez por isso, sofra para emplacar as vendas no Brasil. O sedan chinês não tem câmeras 360º, assistente de permanência em faixa, alerta de ponto cego, detector de fadiga, controle de cruzeiro adaptativo, frenagem automática nem alerta de tráfego cruzado.

O pacote de segurança se resume ao piloto automático, à câmera de ré, aos controles de estabilidade e tração, ao assistente de ladeira e aos sensores de estacionamento, tanto na parte dianteira quanto na traseira. Além disso, há airbags dianteiros (duplo), laterais e de cortina.

Conforto e Experiência de uso

O JAC E-J7 tem o que o usuário que busca por um carro elétrico procura: conforto aliado ao desempenho. E foi isso que o sedan chinês entregou de imediato à reportagem do Canaltech, tanto em ambiente urbano quanto no rodoviário, em um bate-volta São Paulo / Jundiaí.

O único “senão” que deixou a missão de testar o E-J7 um pouco menos prazerosa ficou por conta da condução do carro no modo “Eco”. Antes de alterarmos a configuração para “Sport”, algo que só pode ser feito por meio da central multimídia, notamos o carro muito arisco na estrada, especialmente nas curvas.

Motor do JAC E-J7 entrega ótima potência e torque imediato ao condutor (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

A direção elétrica não acompanhou a necessidade de ficar mais pesada com o aumento da velocidade e isso fez com que a tocada do carro se tornasse um pouco instável. Após a mudança para “Sport”, o problema melhorou, mas ainda foi possível notar, vez ou outra, certa instabilidade nas curvas mais acentuadas.

Para quem está pensando em comprar o E-J7 para deslocamento diário e, eventualmente, encarar uma estrada, de preferência sem abusar muito da velocidade, o prazer à bordo do sedan da JAC Motors está garantido, com conforto e tecnologia de sobra. O bom ajuste de suspensão faz até mesmo os buracos, corriqueiros nas ruas de São Paulo, parecerem um tapete.

Design e Acabamento

O design do JAC E-J7 chama a atenção por onde passa. Não deu para contar nos dedos as vezes em que a reportagem do Canaltech foi questionada a respeito do carro que estava testando: “É um Tesla?”, chegou a perguntar um pedestre, talvez confundido pela colmeia toda branca na dianteira do sedan chinês.

Linhas modernas e dignas de um superesportivo, conjunto óptico bem desenhado e “jeitão” de superesportivo são atributos que dão ao JAC E-J7 pontos para lá de positivos no quesito design.

Sedan da JAC Motors chegou a ser confundido com um carro da Tesla (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

O acabamento interno também merece elogios, tanto pelo uso limitado de plástico duro quanto pela qualidade do material macio ao toque que foi colocado nas portas e no painel dianteiro do sedan de proporções generosas.

O teto solar elétrico é um charme a mais no carro, assim como as luzes em LED internas, que literalmente “dançam” ao ritmo da música que estiver tocando no bom sistema de som que equipa o sedan chinês.

Teto solar elétrico dá um charme especial ao JAC E-J7 (Imagem: Divulgação/JAC Motors)

Concorrentes

Eleitos como principais concorrentes do E-J7 pela própria JAC, Audi A4, Mercedes-Benz Classe C e BMW 320i GP ficam para trás do sedan chinês não apenas na pista, como testamos e comprovamos, mas em outros quesitos.

Os três carros citados são a combustão, e isso já tem um peso contrário na cabeça do consumidor que está à procura de um carro confortável, com bom desempenho e que seja zero emissor de gases poluentes.

E-J7 leva vantagem sobre rivais por ser 100% elétrico e mais barato que demais modelos (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Em termos de preço, mais uma vez o E-J7 leva vantagem. O sedan da marca chinesa custa cerca de R$ 260 mil após a redução do IPI, enquanto o Audi A4 parte de R$ 294.990 na versão Prestige, o BMW 320i sai de R$ 296.250 e o Mercedes Classe C não é encontrado por menos de R$ 363.900.

A vantagem do trio a combustão está na lista de equipamentos, bem mais completa no que diz respeito à segurança ativa. Além disso, o interior deles também é mais “requintado” que o do JAC E-J7, e isso faz diferença no preço final.

“O JAC E-J7 pode até ficar devendo para os rivais em termos de requinte e equipamentos de segurança ativa, mas não fica atrás das principais marcas premium quando o comparativo é feito em cima de design, desempenho e conforto.”

— Paulo Amaral

Veredicto

O veredicto, após dois bons testes com o JAC E-J7, um em condições de pista e outro misturando trajetos urbanos e rodoviários, é que o sedan da montadora chinesa está, sim, pronto para assustar os principais rivais do segmento premium.

Se por um lado falta ao modelo itens de segurança, hoje cada vez mais presentes em carros desse segmento, por outro sobram conforto, desempenho e, principalmente, autonomia, algo que ainda é uma preocupação no ainda restrito grupo de carros elétricos à venda no Brasil.

Apesar de “pelado” no quesito segurança, E-J7 tem bons atributos para fazer valer a compra (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Vale lembrar que, na faixa de preço do JAC E-J7, o cliente pode encontrar outros modelos elétricos disponíveis, como o Fiat 500e e o Peugeot e-208 GT, ambos da Stellantis. Os dois, porém, têm propostas e, principalmente, tamanhos diferentes e não podem ser considerados rivais diretos do sedan chinês.

*O E-J7 avaliado pela reportagem do Canaltech foi gentilmente cedido pela JAC Motors.



Veja mais