Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

Review Apple iPad Air (2022) | O tablet que já conhecemos ainda mais potente


A Apple lançou o primeiro iPad Air com chipset M1 em março de 2022. Com configuração potente e feita para os mais variados tipos de usuários, ele pode ser considerado o tablet mais poderoso da gigante de Cupertino.

Com versões que começam em 64 GB de espaço interno e 8 GB de memória RAM, ele promete ser um dispositivo voltado para a produtividade e aplicações mais pesadas e que demandam mais performance desse tipo de aparelho.

Todavia, será que o iPad Air 5 é realmente bom e cumpre com o prometido? Pude testá-lo por dois dias e venho trazer a minha experiência de uso. Confira na nossa análise.

Design e Construção

O Apple iPad Air de 5ª geração tem design bem semelhante as versões anteriores do mesmo aparelho. Feito em alumínio na traseira e laterais, sua construção demonstra a preocupação da fabricante em fazer um produto com aspecto robusto e durável. Seu preço começa a partir de R$ 6.000 no mercado brasileiro.

  • Dimensões: 247,6 x 178,5 x 6,1 mm;
  • Peso: 461 gramas (Wi-Fi) / 462 gramas (5G).

Sua tela tem 10,9 polegadas, sendo esse um excelente tamanho para consumir conteúdo multimídia. As configurações disponibilizadas no Brasil contam com 64 GB / 256 GB de espaço de armazenamento interno, ambos com 8 GB de memória RAM, além de existirem as versões Wi-Fi ou Wi-Fi + redes móveis.

Esse modelo tem leitor de digitais, auxiliando bastante a usabilidade e praticidade durante o dia a dia. Existem também quatro alto-falantes, dois deles disponibilizados no topo, e os outros dois, na parte inferior do iPad. Indo para os conectores e entradas, encontramos as seguintes opções:

  • Aumento e diminuição de volume;
  • Bloqueio e desbloqueio;
  • Entrada USB-C.
A traseira totalmente em alumínio traz qualidade e durabilidade ao iPad Air 5 (Imagem: Ivo/Canaltech)

Tela

A tela é um dos pontos altos do iPad Air (2022) no geral. Seu tamanho de 10,9 polegadas é excelente para quem prefere painéis maiores e mais confortáveis para assistir a vídeos ou trabalhar com mais conforto. A resolução é de 1640 x 2360 pixels, garantindo imagens bem nítidas e definidas.

Utilizo alguns vídeos e imagens para os testes práticos e posso afirmar que as cores demonstradas eram vivas, com boa tonalidade e bem próximas da realidade. Por se tratar de um painel do tipo “Liquid Retina” IPS LCD, este é um resultado esperado para esse tipo de dispositivo.

O brilho máximo (500 nits) foi suficiente para utilizar o tablet em ambientes externos, sem nenhum tipo de dificuldade para a leitura ou visualização dos ícones nessa situação. O vidro tem resistência à riscos e a tela, tratamento oleofóbico.

Caso o usuário queira, é possível utilizar o aparelho com a Apple Pencil de 2ª geração, ou canetas stylus compatíveis com o modelo, sendo estes acessórios comprados à parte.

A qualidade da imagem e fidelidade das cores são presentes no iPad Air 5 (Imagem: Ivo/Canaltech)

Configuração e Desempenho

O Apple iPad Air (2022) tem configuração poderosa e suficiente para qualquer tarefa que diferentes perfis de usuário façam no aparelho. Esse é o primeiro tablet da Maçã utilizando o chipset M1, diferentemente das outras versões que contam com a já conhecida plataforma Bionic.

Primeiramente, vale ressaltar que, apesar de ambos os processadores terem desempenho superior em muitos aspectos, o M1 sai na frente nesse quesito, principalmente quando falamos sobre a parte de processamento gráfico em si.

Já tive a oportunidade de testar outros iPads, e devo dizer que me impressionei nessa parte. O Call of Duty: Mobile, por exemplo, rodou sem nenhum tipo de travamento ou queda de performance, mesmo com vários aplicativos e outros programas abertos de fundo. Mesmo com muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo na partida, não houve nenhum aspecto negativo a ser observado.

O chipset M1 garante poder de fogo suficiente para qualquer tarefa ou aplicativo mais pesado (Imagem: Ivo/Canaltech)

A configuração do game estava no “alto”, o que naturalmente exigiria mais do tablet em si, que entregou todo o desempenho sem problema. A versão que recebemos para testes tem 256 GB de espaço de armazenamento interno e 8 GB de memória RAM, números esses mais que suficientes.

Nos testes de benchmark realizados por mim, foram atingidas as seguintes pontuações:

  • Aplicativo 3D Mark: 18310 pontos e 109,6 FPS (Wild Life – Unlimited) – 4465 pontos e 26,7 FPS (Wild Life Extreme – Unlimited);
  • GeekBench: CPU: 1715 (Single-Core) / 7239 (Multi-Core) – Metal Score: 21261.

Ao final do uso, posso afirmar que o iPad Air de 5ª geração é, novamente, um grande acerto da Apple no mercado de tablets.

“O iPad Air 5 é o tablet mais poderoso da gigante de Cupertino, já que tem em sua construção o chipset Apple M1 e tela menos exigente que a do iPad Pro.”

— Amanda Abreu

Câmera Traseira

Eu costumo sempre dizer nas análises que faço aqui no Canaltech que as câmeras dos tablets não são feitas para tirar fotos. Contudo, pela primeira vez, posso falar que isso não é uma verdade.

As lentes do iPad Air (2022) fizeram capturas realmente boas e com qualidade superior a todos os dispositivos semelhantes que já testei.

Uma das partes que mais me chamou a atenção foi a definição da imagem, já que é possível perceber os detalhes dos objetos sem grandes dificuldades. No caso das folhas das plantas, por exemplo, era possível ver cada uma delas de forma separada, sem ser um grande “borrão” na tela.

Outra questão que notei foi que, em algumas imagens, havia alguns carros de fundo passando em movimento, o que poderia deixar a imagem com qualidade inferior por esse motivo.

Todavia, isso não ocorreu e mesmo nas capturas em que eles apareciam, a estabilização foi suficiente e garantiu que nenhuma distorção ficasse aparente.

As cores também são bem próximas da realidade e não sofrem nenhum tipo de saturação por parte do software de pós processamento da Apple. Já as fotos tiradas com o zoom digital em 2x perderam parte da definição, mas isso é algo esperado para esse tipo de situação.

Concluindo, posso afirmar que os 12 MP impressionam e fazem do iPad uma excelente escolha para registrar fotos e vídeos.

Câmera Frontal

A lente frontal tem praticamente as mesmas características da traseira, principalmente na parte da qualidade da imagem. A lente também é de 12 MP e é do tipo ultra-grande-angular. Um detalhe importante é que não há a disponibilidade do modo retrato nesse modelo, logo, se você é o tipo de usuário que utiliza esse modo, é necessário saber de sua ausência.

Sistema de Som

O sistema de som do iPad Air é realmente excelente sob diferentes perspectivas. Os sons agudos, médios e graves são equilibrados num contexto geral. No total, existem quatro saídas diferentes, sendo duas delas localizadas na parte superior, e as outras na parte inferior do tablet.

Isso faz com que a distribuição do áudio seja feita de forma mais adequada, já que o som é melhor dividido entre todos os alto-falantes. Indo para a parte técnica, os sons médios e agudos são melhor reproduzidos pelo iPad. Não senti nenhuma distorção ou abafamento quando as músicas e sons com essas características eram tocados.

O Apple iPad Air 5 tem quatro saídas de som no total, garantindo qualidade e fidelidade na reprodução de conteúdos (Imagem: Ivo/Canaltech)

No entanto, isso não quer dizer que os graves ficam de fora dessa parte. Eles são razoavelmente encorpados e não decepcionam durante a reprodução dos conteúdos. Porém, é necessário dizer que eles não têm a força necessária, já que seu formato e tamanho impossibilitam que isso ocorra de maneira mais adequada.

Costumo utilizar uma mesma seleção de músicas e sons de teste nessas situações, para que eu possa avaliar mais adequadamente essas características. Logo, posso dizer que o som do iPad Air é acima das expectativas para um dispositivo desse tipo.

Bateria e Carregamento

Antes de entrar nesse tópico, gostaria de salientar que, aqui no Canaltech, nós realizamos um teste de uso de bateria através do Netflix. Ficamos durante três horas seguidas com alguma série ou filme rodando, com o volume e o brilho da tela em exatos 50%.

Ao final desse período, constatei consumo de 25% da bateria, sendo essa uma autonomia excelente, principalmente se considerarmos que nesse modelo temos o M1 como plataforma. São em torno de 12 horas de uso, aproximadamente.

Todavia, acho importante salientar que, durante as partidas que eu joguei, percebi que o consumo foi ligeiramente maior nessas situações. Ou seja: apesar de o teste com o app de streaming utilizar boa parte das funcionalidades do tablet, o desempenho entregue nos jogos é maior e cobra a bateria por esse mesmo motivo.

Por fim, a recarga é feita através do conector USB-C, sendo que o carregador e o cabo são disponibilizados dentro da caixa do produto, poupando o consumidor de ter que comprar esses acessórios à parte.

Concorrentes Diretos

Como principal concorrente direto do iPad Air de 5ª geração, temos o Samsung Galaxy Tab S8. Ambos foram lançados no mesmo mês e ano (março/2022) e são tablets voltados a um público intermediário a avançado.

Nos chipsets, enquanto a Apple usa o M1 pela primeira vez nesse tipo de dispositivo, a gigante sul-coreana aposta na plataforma da Qualcomm, o Snapdragon 8 de 1ª geração. Em alguns sites de benchmark, é possível notar que o M1 sai na frente em alguns quesitos, sendo o processador mais forte entre os dispositivos.

A tela do Tab S8 também é ligeiramente maior, já que são 11 polegadas contra 10,9 do iPad Air. No entanto, os painéis escolhidos são diferentes — IPS LCD (Apple) contra TFT LCD (Samsung) —, além da taxa de atualização do tablet da sul-coreana ser maior, com 120 Hz.

Samsung Galaxy Tab S8 (Imagem: Wallace Moté/Canaltech)

Outro grande diferencial do Tab S8 é a disponibilização da S Pen dentro da caixa do produto, dispensando a compra do acessório pelo usuário. Já no caso do aparelho da Maçã, não temos essa mesma vantagem.

As câmeras também são diferentes entre os modelos, já que existem três lentes no aparelho da Samsung, contra duas no modelo da Apple. Elas possuem 13 MP + 6 MP (traseira) e 12 MP (frontal), contra 12 MP (traseira) e 12 MP (frontal), respectivamente.

Por fim, as versões do iPad Air vendidas no Brasil possuem 64 GB / 256 GB de espaço interno e 6 GB de memória RAM, contra 256 GB de espaço interno e 8 GB de memória RAM no Tab S8. O preço desses modelos variam entre R$ 4.800 a R$ 8.000, aproximadamente.

Conclusão

É notório que a Apple tem acertado na fabricação dos seus iPads há algum tempo, entregando aparelhos realmente potentes e feitos para quem procura performance em último nível.

Posso afirmar com tranquilidade que esse é um dispositivo feito para qualquer tipo de usuário, já que seu desempenho, com toda a certeza, é um dos grandes diferenciais desse modelo.

A utilização do chipset M1 em sua construção é a explicação para que isso se torne possível. Pela primeira vez, a Maçã decidiu utilizar sua plataforma dos MacBooks, MacMini e afins em um tablet, transformando esse aparelho em um verdadeiro computador de uso pessoal.

Apple iPad Air 5 (2022) (Imagem: Ivo/Canaltech)

O único “porém” que encontramos nessa versão é seu preço, já que cobrar a partir de R$ 6.000 pelo modelo mais barato pode se tornar um gigantesco impeditivo nessa situação.

Nesse caso, o Samsung Galaxy Tab S8 atende bem por um preço mais justo, além de não ficar muito para trás em relação ao iPad Air 5, se levarmos em consideração sua usabilidade.

Todavia, uma coisa é fato: o iPad Air 5 é um tablet excelente, com construção e configuração robusta e preparado para qualquer atividade que o usuário propor.



Veja mais