Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

o que é, quanto rende e como investir


Entenda o conceito, como funciona, quanto rende e descubra se é um investimento interessante para você!

Tesouro Direto é um investimento realizado junto ao Governo Federal, com diferentes opções de rendimento e que podem atender aos mais diversos objetivos. 

De uma reserva de emergência às economias para a aposentadoria, entenda os tipos de Tesouro e se é uma opção interessante para você.

O que é Tesouro Direto

Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional do Brasil, em que são vendidos títulos públicos para pessoas físicas. Mais tarde, as pessoas vendem esses títulos por um valor maior do que compraram.

Em outras palavras, é uma forma de investimento.

Na prática, é como se você estivesse guardando dinheiro em uma espécie de poupança que rende mais.

Como funciona o Tesouro Direto

O Tesouro Direto funciona de forma parecida com os demais investimentos: na essência, significa que você vai emprestar dinheiro para uma instituição e, depois, receber de volta esse valor emprestado acrescido de juros.

No caso do Tesouro Direto, esse empréstimo acontece para o governo brasileiro, o que torna o investimento um dos mais seguros.

Isso ocorre através da compra de títulos públicos. O investidor compra títulos públicos do Tesouro Nacional e depois os revende para o próprio Tesouro, recebendo o valor que pagou mais o rendimento.

Para todos os efeitos, é como guardar dinheiro em uma poupança.

Algo interessante é que o investidor não precisa comprar um título público inteiro, pode comprar partes dele. O investimento mínimo é de R$30 e o máximo é de R$1 milhão por mês.

Quais são os tipos de títulos públicos

Existem três tipos de títulos públicos do Tesouro Direto: prefixados, pós-fixados e híbridos. Entenda como funciona cada classificação.

Títulos públicos prefixados

Os títulos prefixados têm sua taxa de rendimento estabelecida no momento da compra. Assim, o investidor sabe quanto o dinheiro vai render no momento do resgate.

As taxas prefixadas não dependem das movimentações do mercado e das variações dos juros. 

Isso significa que o rendimento será aquele indicado no momento da compra dos títulos e mesmo que os juros no momento do resgate indicassem um rendimento menor, o investidor recebe o montante acordado no início.

Mas, isso vale apenas para o resgate na data de vencimento combinada na compra.

As vantagens dessa modalidade são a imunidade do rendimento em relação às mudanças de taxas no mercado e a previsibilidade.

A desvantagem é que o rendimento pode ser menos vantajoso caso os juros no momento do resgate estejam maiores – o que permitiria um retorno maior se o título não tivesse com a taxa prefixada lá no começo. 

Títulos públicos pós-fixados

Já os títulos públicos pós-fixados dependerão de indicadores que se alteram. Eles podem ser os índices IPCA, IGPM, Selic e outros que indicam juros e preços na economia.

A vantagem dessa modalidade é que o rendimento está atrelado a indicadores que podem aumentar consideravelmente com o passar do tempo. 

Títulos públicos híbridos

Ainda existem os títulos públicos híbridos, em que parte do rendimento é prefixado na compra e parte varia, sendo definida no momento do resgate.

Quer saber como sair do vermelho, organizar seu dinheiro e começar a poupar? Assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Tipos de Tesouro Direto

Agora que você sabe que os títulos públicos do Tesouro Direto podem ser prefixados, pós-fixados ou híbridos, veja em quais modalidades pode investir. 

Tesouro Prefixado

Tesouro Prefixado é aquele cujos títulos têm a rentabilidade fixada no momento da compra. Aqui, o rendimento não varia de acordo com outros indicadores e é previsível.

Essa modalidade é vantajosa para quem pretende deixar o dinheiro investido pelo tempo predeterminado na aquisição dos títulos.

Isso porque a rentabilidade prefixada só vale para o resgate no dia do vencimento combinado.

Até lá, as taxas variam diariamente. Então, retirar o dinheiro antes do prazo pode significar perder rendimento e até mesmo perder parte do que foi investido.

A vantagem em vender os títulos antes do vencimento estaria na possibilidade de, no dia do resgate, as taxas que determinam a rentabilidade serem maiores – permitindo, portanto, um saque maior que o esperado.

De qualquer forma, especialistas recomendam essa modalidade para quem pretende deixar o investimento rendendo até o final, não quer correr riscos e acredita que a taxa prefixada será maior que a Selic. 

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Nessa modalidade, a taxa de rendimento é prefixada no momento da compra, mas o investidor tem a opção de receber os juros a cada semestre.

Isso significa que ele não precisa vender seus títulos para receber algum dinheiro de volta. Ele recebe o que rendeu e pode manter o valor inicial investido.

O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais é interessante para quem deseja gerar algum fluxo de caixa com montante que está investido no Tesouro. 

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título público pós-fixado atrelado à variação da Selic, que é a taxa básica de juros da economia.

A vantagem deste título é que a Selic não é tão volátil, ou seja, sua variação é pequena. Além disso, todos os dias o valor é computado no rendimento.

Isso faz com que o investidor não perca dinheiro caso necessite resgatar antes do vencimento previsto.

Portanto, o Tesouro Selic é uma modalidade que funciona bem como uma espécie de poupança de emergência. 

Tesouro IPCA+

Já o Tesouro IPCA+ é um título híbrido – ou seja, parte do rendimento é prefixado no momento da compra e parte está atrelado ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo.

Essa modalidade é indicada para quem deseja fazer investimento a longo prazo: como um fundo para aposentadoria ou para comprar algo de valor alto, como um imóvel.

Isso acontece porque o rendimento atrelado ao IPCA pode proteger o investimento de perda de valor de compra, uma vez que está ligado à inflação que atinge os preços para o consumidor. 

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais

Segue os mesmos moldes da modalidade Tesouro IPCA+, mas com a possibilidade de receber o proporcional do rendimento duas vezes ao ano. Ou seja, a cada seis meses, o investidor pode receber ou reinvestir os juros até ali recebidos.

Mas é importante lembrar que para receber a totalidade do rendimento da parte que foi prefixada, é necessário deixar o dinheiro investido até o vencimento.

O canal “Jovens de Negócios” explica neste vídeo sobre os 5 tipos de Tesouro Direto que citamos acima. Vale assistir para complementar sua leitura.

Quanto rende o Tesouro Direto

O Tesouro Direto rende de acordo com os tipos de Tesouro que o investidor escolhe.

No Tesouro Prefixado, por exemplo, renderá de acordo com a taxa determinada no momento da compra. Já no Tesouro Selic, o rendimento está atrelado à taxa Selic.

Por isso, é fundamental consultar as tabelas do Tesouro Direto, entender os movimentos das taxas e fazer simulações.

Quanto rende mil reais no Tesouro Direto

O rendimento de mil reais no Tesouro Direto depende do tipo de investimento escolhido, da data em que é feita a compra dos títulos e do tempo em que o valor foi deixado rendendo.

Veja uma simulação realizada na calculadora do Tesouro Direto:

  • R$1000 investidos no Tesouro Prefixado 2025 – ou seja, com vencimento em 2025 e rendimento de acordo com a taxa prefixada em maio de 2022;
  • A taxa prefixada no momento da simulação é de 12,36%;
  • Até 2025, o rendimento seria de aproximadamente R$363 bruto, ou seja, sem o desconto do Imposto de Renda e de taxa administrativa;
  • O valor líquido do rendimento seria de R$302, já descontado o IR;
  • O saque líquido, portanto, seria de R$1.302 aproximadamente.

Nessas condições, o rendimento para mil reais no Tesouro Direto seria de quase R$302.*

*Esses valores podem mudar de acordo com a data da simulação.

Quanto rende cem mil reais no Tesouro Direto

Mais uma vez, é importante destacar que o rendimento de cem mil reais no Tesouro Direto varia de acordo com a data do investimento, tipo escolhido e tempo em que fica investido.

Simulando o valor no Tesouro Prefixado 2025, ficaria:

  • R$100 mil investidos no Tesouro Prefixado 2025;
  • A taxa prefixada no momento da simulação é de 12,36%.
  • Até 2025, o rendimento seria de mais de R$36 mil bruto, ou seja, sem o desconto do Imposto de Renda e taxas;
  • O valor líquido do rendimento seria mais R$30 mil, já descontado o IR e taxa;
  • O saque líquido, portanto, seria de aproximadamente R$130 mil.

Nessas condições, o rendimento para 100 mil reais no Tesouro Direto seria de aproximadamente 30 mil reais.*

*Esses valores podem mudar de acordo com a data da simulação.

Quanto rende 1 milhão no Tesouro Direto

O rendimento de 1 milhão também varia de acordo com o tipo de Tesouro escolhido, data do investimento e quanto tempo ficará rendendo.

Realizamos uma simulação nos mesmos moldes das anteriores – Tesouro Prefixado 2025.

Veja:

  • 1 milhão de reais investidos no Tesouro Prefixado 2025;
  • A taxa prefixada no momento da simulação é de 12,36%;
  • Até 2025, o rendimento seria de mais de R$363 mil bruto, ou seja, sem o desconto do Imposto de Renda e taxas;
  • O valor líquido do rendimento seria mais de R$302 mil, já descontado o IR e taxa;
  • O saque líquido, portanto, seria de aproximadamente R$1.302.445,00.

Nessas condições, o rendimento de 1 milhão de reais no Tesouro Direto seria de aproximadamente 302 mil reais.*

*Esses valores podem mudar de acordo com a data da simulação.

É seguro investir no Tesouro Direto?

Sim, especialistas afirmam que é seguro investir no Tesouro Direto porque os pagamentos são realizados pelo Governo Federal.

Inclusive, muitos estudiosos dizem que é mais seguro deixar o dinheiro rendendo no Tesouro do que na tradicional poupança, porque as chances do governo brasileiro deixar de pagar os valores investidos às pessoas são menores do que isso acontecer com um banco privado.

Como investir no Tesouro Direto

Para investir no Tesouro Direto basta ter uma conta corrente em um banco cadastrado junto ao Tesouro ou em uma corretora. Veja o passo a passo:

➡️Simule os investimentos no site do Tesouro Direto para decidir em qual investir;

➡️Cadastre-se no Tesouro Direto dentro do site ou do aplicativo do seu banco ou corretora – você pode consultar bancos cadastrados no Tesouro Direto para verificar se o seu está dentro;

➡️Transfira o dinheiro para o Tesouro Direto pelo banco ou corretora em que você se cadastrou.

Pronto, seu dinheiro estará investido e rendendo!

Gostou de aprender sobre Tesouro Direto? Conta pra gente nos comentários!

 O Dindim por dindim é o portal da SumUp feito para ajudar você a melhorar sua vida financeira. Aqui você vai aprender sobre finanças pessoais e empreendedorismo com quem mais entende do assunto. Ainda não conhece a SumUp? Venha saber mais sobre as nossas maquininhas e soluções financeiras.



Veja mais