Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

O céu não é o limite | Fotos do eclipse solar, o próximo eclipse lunar e+!


Dois eclipses, um solar e um lunar são o assunto do momento. O primeiro ocorreu no dia 30 de abril e não foi visível no Brasil, mas o segundo virá na metade do mês de maio e poderá ser observado em qualquer região do país. Abaixo, selecionamos as melhores fotos do eclipse solar e explicamos tudo em detalhes para você acompanhar o lunar.

Além disso, temos um novo recorde da SpaceX, explosões solares e um novo foguete russo, que você confere abaixo.

O primeiro eclipse solar de 2022 foi parcial e visível apenas nos países do extremo sul das Américas. No entanto, para nossa sorte, muitos conseguiram registrar belas fotografias, que você encontra no link acima.

Eclipses solares acontecem quando a Lua bloqueia a luz do Sol ao se posicionar em alinhamento quase perfeito entre a estrela e o nosso planeta. Esse evento nunca vem sozinho: é seguido por um eclipse lunar, geralmente duas semanas depois. E por falar nisso…

Simulação do eclipse lunar total de 16 de maio, à 1h40 (Imagem: Reprodução/Stellarium)

No dia 16 de maio ocorrerá um eclipse lunar total, visível em todo o país. A sombra da Terra cobrirá a Lua por completo, deixando-a com um aspecto avermelhado. O evento começará por volta das 22h30 do dia 15 de maio, com um eclipse parcial começando a escurecer a Lua, e vai até as 03h50. No total, serão 5 horas e 19 minutos.

O eclipse total de fato começará às 00h29 da madrugada (já no dia 16), quando a Lua ganhará com uma cor bem avermelhada, o que lhe dá o apelido de “Lua de sangue”. Durante todo o tempo ela estará alta o suficiente no céu para uma boa observação.

A SpaceWorks buscou desenvolver um habitat onde os astronautas poderiam hibernar durante a viagem a Marte (Imagem: Reprodução/SpaceWorks Enterprises)

Embora a NASA considere usar métodos de induzir astronautas a hibernar durante viagens espaciais longas, um novo estudo sugere que isso pode não ser tão útil quanto parece. A ideia é conservar a energia do corpo humano enquanto a espaçonave atravessa o espaço interplanetário, mas talvez essa economia não ocorra, mesmo hibernando.

De acordo com o estudo, apenas animais pequenos conseguem economizar energia considerável enquanto hibernam. Ursos, por exemplo, na verdade estão consumindo mais energia durante o sono prolongado. Em outras palavras, seres humanos também não tirariam proveito de uma soneca induzida artificialmente.

A Rússia estreou o novo foguete Angara 1.2 enviando ao espaço um satélite militar de seu Ministério da Defesa. A carga útil recebe o nome de Kosmos-2555 e já está enviando dados de telemetria do espaço, enquanto se move em uma órbita quase polar (quando percorre de um polo a outro do planeta) a uma altitude de 500 km.

As autoridades russas não revelaram detalhes da missão. O Angara 1.2 consegue enviar 3,8 toneladas ao espaço, mas a família conta também com versões maiores. O Angara A5, por exemplo, pode transportar em torno de 24,5 toneladas de carga útil.

Cápsula Crew Dragon Freedom atracada no módulo Harmony da estação espacial (Imagem: Reprodução/NASA TV)

A missão Crew-4, lançada na quarta-feira (27) passada, foi a recordista em viagens da SpaceX à Estação Espacial Internacional (ISS). Os astronautas a bordo chegaram ao destino menos de 16 horas após decolar do Centro Espacial Kennedy da NASA. No total, o voo durou 15 horas e 45 minutos.

De acordo com o gerente do Programa de Tripulação Comercial da NASA, “é quase o mesmo tempo que leva para ir de Nova York a Cingapura, então é interessante”. A ISS fica a cerca de 400 km de altitude. Os três astronautas ficarão seis meses na estação orbital.

Uma explosão solar intensa aconteceu nesta terça-feira (3), mas na região sul da superfície do Sol. Isso significa que as partículas emitidas não vieram diretamente em nossa direção. Ainda assim, a intensidade das atividades da estrela deixa os cientistas em alerta para os próximos eventos que podem acontecer.

A explosão do dia 3 foi classificada como categoria “X”, as mais poderosas, com intensidade 1.1. Como as partículas não vieram em direção à Terra, não haverá auroras boreais nem risco aos nossos satélites e sistemas de comunicação.

Leia também:





Veja mais