nasa-recupera-mais-um-instrumento-do-hubble-que-estava-em-modo-de-seguranca

NASA recupera mais um instrumento do Hubble que estava em modo de segurança

Em outubro, o telescópio espacial Hubble sofreu uma falha com a sincronização de sistemas de comunicação internos, que fez com que todos os cinco instrumentos científicos principais entrassem no modo de segurança. Desde então, os membros da equipe do Hubble já haviam conseguido restaurar um deles e, agora, a câmera Wide Field Camera 3 também foi recuperada, já podendo realizar sua primeira observação nesta terça (23).

  • NASA fecha contrato para estender missão científica do Hubble até 2026
  • Telescópio Hubble: 30 anos de história, descobertas e revolução na astronomia

O instrumento Advanced Camera for Surveys (ACS) foi restaurado durante o início de novembro e, com a retomada do funcionamento da Wide Field Camera 3 (WFC3), vemos um avanço importante na “ressuscitação” do Hubble, já que este instrumento representa parte significativa do tempo de observação do telescópio. Além disso, os engenheiros também estão preparando algumas mudanças nos parâmetros do instrumento, enquanto seguem testando alterações em simuladores em solo.

Os demais instrumentos do telescópio seguem no modo de segurança no momento (Imagem: Reprodução/NASA)

Se tudo der certo, as alterações podem permitir que os instrumentos suportem algumas mensagens de sincronização perdida enquanto seguem operando normalmente caso algum problema semelhante volte a ocorrer no futuro. De acordo com a NASA, as mudanças seriam aplicadas inicialmente no instrumento Cosmic Origins Spectrograph para proteger seu detector, e o processo de testar e implementar as mudanças deverá levar algumas semanas.


Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.

A WFC3 é o instrumento mais usado do Hubble e foi instalado pelos astronautas que estiveram na última das cinco missões de manutenção do telescópio espacial. Além de consertos, essas missões também realizaram manutenções e atualizações no telescópio, lançado em 1990 — toda essa atenção ao Hubble mostra como foi possível mantê-lo em operação por mais de 30 anos. Mesmo assim, o telescópio vem mostrando algumas falhas, que sinalizam desgastes após tanto tempo de atividades.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

  • 10 atores de Harry Potter que já morreram
  • Garimpeiro procurava ouro mas acabou encontrando um meteorito ainda mais valioso
  • Nosso cérebro encolheu ao longo dos últimos milênios; o que isso significa?
  • BARATINHO | Fone Bluetooth Galaxy Buds Pro entra em oferta na Fast Shop
  • Lua Fobos poderia ajudar a criar campo um magnético artificial em Marte; entenda