kwai-|-como-o-app-chines-quer-ser-o-pioneiro-do-live-commerce-no-brasil

Kwai | Como o app chinês quer ser o pioneiro do live commerce no Brasil

A rede social de vídeos curtos Kwai começou no Brasil seus primeiros experimentos com um formato comum na China: o live e-commerce. Nos últimos meses, a plataforma fez alguns testes nos últimos meses com marcas como a pulseira fitness AmazFit, da Xiaomi, e com a varejista Casas Bahia. O objetivo é tentar sair na frente como a referência deste setor no nosso país.

  • Startup que dá “upgrade” em lojas de e-commerce levanta US$ 225 milhões
  • Expansão do e-commerce continua: em setembro, setor cresceu 24,21%
  • E-commerce brasileiro deve priorizar a experiência de compra, diz Google

O novo formato une transmissão em vídeo ao vivo, interatividade e compras online em um mesmo ambiente. Na prática, vendedores apresentam os produtos ao vivo e o cliente pode comprá-los durante a live. Em outro exemplo recente do movimento no Brasil, o apresentador Otaviano Costa se juntou à agência Bullet e à RocketBank e criou a Pode Live Shop, empresa que vai funcionar como um shopping center virtual com lives das mais variadas empresas.

A ferramenta une a praticidade das compras online com a possibilidade de tirar dúvidas sobre os produtos, uma das principais vantagens do comércio físico. Além disso, o mês de novembro traz mais ofertas por conta da Black Friday, e o formato ajuda o consumidor a consolidar sua decisão de compra.


Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!

O público do Kwai pode comprar um produto sem ser direcionado a outro ambiente. Ao clicar no ícone do carrinho de compras na parte inferior da tela da live, é possível visualizar o portfólio de produtos com os respectivos preços e descontos, se cadastrar e realizar a compra no canal da empresa, sem sair da transmissão.

Paulo Fernandes, diretor de vendas do Kwai nas Américas (Imagem: Divulgação/Kwai)

Por enquanto, a função de live e-commerce no Kwai está disponível apenas para empresas parceiras do app no país. Não há um tempo padrão de duração: pode variar de 30 minutos a uma hora e meia, dependendo do engajamento das pessoas que estão assistindo à live e dos objetivos do lojista.

Paulo Fernandes, diretor de vendas do Kwai nas Américas, diz ao Canaltech que o Brasil é um dos mercados prioritários para a empresa. Por isso virou o primeiro país fora da China a trazer a novidade. A Kuaishou, empresa desenvolvedora do Kwai, é hoje uma das maiores plataformas de live e-commerce do mundo, com um volume bruto de transações de cerca de US$ 50 bilhões (R$ 282 bilhões) em 2020.

“Esta é uma prática que tem uma longa história de sucesso na China e se tornou comum nos últimos anos no país asiático. Sabemos que temos um caminho promissor para percorrer por aqui. Estamos em plena expansão e desejamos estar cada vez mais próximo das pessoas e fazer parte do seu dia a dia, inserindo o app na cultura do país”, diz Fernandes.

No Brasil, segundo dados da ComScore, o Kwai tem hoje uma audiência bastante diversificada com 45,4 milhões de usuários ativos na média mensal. Mas a empresa não compartilha dados de público dos primeiros testes: segundo Fernandes, estes estão de posse das lojas.

Para o executivo, o formato pode pegar por aqui porque o live e-commerce guarda algumas semelhanças com as tradicionais transmissões de comércio ao vivo na TV. “A grande diferença está na interação – que é muito maior e contínua – e na compra, que pode ser finalizada em um único local sem precisar sair da transmissão”, compara.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

  • Veja os benefícios que todo MEI tem direito e pouca gente sabe
  • WhatsApp finalmente recebe um criador de figurinhas nativo, mas há um porém
  • Garimpeiro procurava ouro mas acabou encontrando um meteorito ainda mais valioso
  • Harry Potter e a Pedra Filosofal | Veja como está o elenco 20 anos depois
  • 10 atores de Harry Potter que já morreram