Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

Google terá cartões virtuais e opção de remover buscas com informações pessoais


O Google anunciou nesta quinta-feira (11) uma série de novidades relacionadas à segurança e privacidade de seus usuários do Chrome, Android e outras plataformas, incluindo a opção de remover resultados de buscas que contenham informações pessoais e cartões virtuais que substituem os reais nas compras online. De acordo com a empresa, os avanços vêm para acompanhar as tendências do mercado e, também, o cenário de ameaças, além de dar mais controle aos usuários sobre suas informações.

No total, foram quatro grandes novidades reveladas durante o Google I/O, tradicional evento anual em que a companhia faz anúncios sobre todo o seu ecossistema. Além das já citadas, chegam também novos alertas sobre problemas de segurança para as contas dos usuários e um sistema de proteção contra links de phishing para a suíte de aplicativo Docs, em uma tentativa de quebrar uma das vias importantes de disseminação de malware para os usuários.

“Com estes avanços, seguimos adiante em nosso ideal de dar mais controle aos usuários sobre suas próprias informações, além de entregar serviços protegidos por padrão”, apontou a diretora de governança de dados do Google, Kate Charlet, durante apresentação das novidades à imprensa. Ela lembrou que a gigante foi uma das primeiras a tornar a verificação em duas etapas um padrão e, agora, deseja garantir que os usuários tenham cada vez mais acesso às opções e saibam exatamente quais atitudes podem tomar para se protegerem.

Google vai lançar sistema de solicitação de retirada de resultados nas buscas, sempre que elas apresentarem informações pessoalmente identificáveis dos usuários (Imagem: Divulgação/Google)

Uma das principais novidades, como dito, tem a ver com a exposição de dados pessoais em sites da internet. Em um recurso que será liberado nos próximos meses, primeiro aos falantes de língua inglesa, os próprios usuários poderão marcar para remoção as páginas que cotenham informações como telefone, endereço residencial e e-mail, a fim de reduzir a exposição na rede.

O processo será rápido, por meio de um formulário que aparecerá em resultados individuais de buscas e também durante a navegação com o app do Google. Basta, então, indicar ao sistema o tipo de dado disponível ali e solicitar a remoção que, de acordo com a empresa, deve acontecer em poucos dias. “Estamos trabalhando para sermos os mais rápidos possível, com uma combinação de avaliação automatizada e humana que também leva em conta o interesse público”, explicou Divya Sharma, engenheira de privacidade do setor de buscas do Google.

“O objetivo final é entregar às pessoas mais controle sobre sua presença online, dando opções mais fáceis e intuitivas para remoção de resultados expositivos”, completou ela. A ideia, claro, é expandir essa possibilidade internacionalmente, mas a gigante não falou em datas. Como o ideal é a agilidade, apontou Sharma, o objetivo é chegar a todos os países o mais rapidamente possível.

Sistema de geração de cartões virtuais ficará disponível ainda neste ano no Chrome e Android; principais bandeiras serão aceitas e usuário não precisará lembrar nem o CVV (Imagem: Divulgação/Google)

Outra inovação vista com entusiasmo é a adição de um sistema de geração de cartões virtuais ao navegador Chrome e ao sistema operacional Android. Até o fim deste primeiro semestre, usuários americanos de bandeiras como Visa, American Express e Capital One poderão utilizar o recurso em todas as compras online, e clientes Mastercard dos Estados Unidos se unirão a eles alguns meses depois. Há, claro, planos de expansão internacional, também sem data para acontecerem, assim como a chegada ao iOS e outros sistemas operacionais.

A ideia, de acordo com o diretor da plataforma Google Pay, Rajic Appana, é entregar uma solução que seja simples de usar e não exija mais que o usuário se lembre do código de verificação, atual dinâmica exigida para cartões salvos. Logicamente, a novidade não deixa a segurança de lado, uma vez que oculta os números reais dos cartões de crédito e compartilha com lojas e serviços online apenas a opção virtual, que pode ser rapidamente cancelada em caso de fraude sem afetar diretamente a versão real.

“Acreditamos que essa se tornará uma melhor prática padronizada na indústria de e-commerce”, explica Appana, que demonstra a ambição por trás do novo projeto. Os números verdadeiros são substituídos pelos virtuais, gerados pelo Google, diretamente, sem limite de cartões cadastrados, nem utilização; os números também podem ser utilizados fora do ambiente do Android e do Chrome, e servem como nova alternativa para a realização de compras seguras pela internet.

Alertas de segurança e controles para anúncios direcionados

Alertas de segurança serão exibidos ao lado de avatares de contas do Google, chamando a atenção do usuário para a necessidade de verificação ou tomada de atitudes sobre eventuais problemas (Imagem: Divulgação/Google)

Ainda no campo da segurança de contas, o Google passará a adicionar um alerta de proteção de perfis sempre que algum perigo ou questão importante exigir atenção do usuário. A notificação aparecerá ao lado do avatar, no canto superior direito de todas as plataformas da empresa, para garantir que seja vista e permitir acesso rápido às questões que exijam ajustes.

Ali, por exemplo, estarão recomendações de segurança como o uso de aplicativos geradores de código para autenticação em duas etapas, alertas de tentativas desconhecidas de login, senhas vazadas e outras questões desse tipo. Trata-se de trazer maior destaque a recursos que, hoje, já estão disponíveis na Central de Segurança do Google e ajudam os usuários a protegerem as contas da melhor maneira possível.

Os usuários do Google Docs também passarão a ver alertas, nos próprios documentos, sempre que um link for detectado como suspeito, assim como os próprios arquivos. Aqui, a gigante tenta atingir um dos principais vetores de disseminação de fraudes e malware, com a inclusão de páginas maliciosas em meio a dados aparentemente legítimos anexados em e-mails, focados principalmente em ataques contra corporações.

Alertas similares ao que aparecem em e-mails serão exibidos também em documentos do Google Docs, alertando usuários para possíveis casos de phishing (Imagem: Divulgação/Google)

Aqui, também, a empresa faz uso de ferramentas que já estão disponíveis, por exemplo, no Gmail. De acordo com números apresentados durante o Google I/O, são mais de 15 bilhões de mensagens e links fraudulentos bloqueados todos os anos, além de sistemas de proteção disponíveis em mais de cinco bilhões de dispositivos que ajudam a monitorar ameaças em ascensão e ataques ainda incipientes.

Controles mais avançados e focados em visibilidade também devem chegar aos anúncios da empresa. Usuários poderão selecionar os tópicos, marcas e assuntos cuja publicidade desejam ver ou não. A novidade, que chega ainda neste ano, estará disponível em todos os serviços do Google e os afetará de uma maneira geral: uma configuração feita no YouTube, por exemplo, também afetará o que será mostrado nos resultados de busca.

Anúncios poderão ser customizados em todas as plataformas do Google, com controles simples que permitem indicar interesse ou remover completamente a exibição de determinadas marcas, categorias de produtos ou temas (Imagem: Divulgação/Google)

Será possível, por exemplo, bloquear completamente todas as propagandas relacionadas a bebidas alcoólicas ou, então, apenas uma marca específica de produtos de beleza. Da mesma forma, no sentido oposto, o usuário poderá indicar ao Google quais os temas, produtos e segmentos que mais o interessam, melhorando a qualidade dos anúncios exibidos e a interação com as plataformas de maneira geral.

Incentivo à segurança

As novidades em recursos e serviços também acompanham um investimento de US$ 10 bilhões em plataformas de proteção e segurança que será feito pelo Google até 2027. Fazem parte da iniciativa, por exemplo, um kit de ferramentas de privacidade chamado Computação Protegida, que pretende diminuir as pegadas digitais dos usuários de maneira automatizada, na mesma medida em que propiciam acesso a recursos como autocompletar, traduções e respostas automáticas.

Com processamento de borda, inteligência artificial e outras tecnologias, a ideia é utilizar a plataforma para anonimizar dados e restringir acesso indevido a informações pessoais, estejam elas disponíveis nas contas dos usuários ou de maneira pública. Além disso, essa expansão de ferramentas também passa por times mais especializados, modernização de infraestruturas e um foco especial sobre a cadeia de suprimentos.

“As mudanças apresentadas [no Google I/O] trazem novas abordagens para os desafios de hoje, tanto do ponto de vista da privacidade quanto da proteção de dados”, completa Charlet. A promessa, agora, é de continuar na vanguarda no que toca a segurança digital e seguir trabalhando em ferramentas e inovações que tornem pessoas e dados mais protegidos.



Veja mais