Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

Como transformar um monitor em TV


Mesmo que normalmente sejam utilizados com computadores ou consoles de vídeo-game, os monitores também podem cumprir um papel bastante satisfatório como televisões. Para isso, apenas alguns acessórios adicionais são necessários, e o custo para essa “conversão” costuma ser relativamente baixo.

Por isso, muitas vezes é mais vantajoso transformar um monitor antigo em televisão, já que aparelhos completamente novos podem ser bem mais caros. Porém, as seguintes dicas também podem funcionar em painéis mais recentes, caso seja conveniente utilizar as duas funções em um só produto.

TV online

Monitores podem ser utilizados para assistir canais pela Internet (Imagem: Divulgação/LG)

Boa parte das televisões atuais possuem funções smart embutidas, ou seja, é possível reproduzir vídeos do YouTube ou conteúdos de aplicativos como Netflix e Prime Video — tudo sem a necessidade de dispositivos adicionais. Em vários casos, os próprios canais de TV oferecem suas programações por meio de streaming.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Porém, os monitores não costumam ter essas funções de forma nativa. Por isso, é possível comprar acessórios que se tornaram bastante populares nos últimos anos, como o Chromecast, Amazon Fire TV Stick, Mi TV Stick ou Roku Express. Com eles, basta ter uma conexão ativa de Internet para acessar aplicativos como o Globoplay, SBT Vídeos, RecordTV, Bandplay e muito mais direto do monitor.

Atenção: a disponibilidade de transmissão de conteúdos pode variar de acordo com o aplicativo e dispositivo conectado ao monitor.

Muitas vezes, a maneira mais eficiente de mostrar conteúdos em um monitor é simplesmente conectá-lo a um notebook e utilizá-lo como uma segunda tela por meio de um cabo HDMI. Dessa forma, é possível evitar problemas de compatibilidade e maiores ajustes de conexão — e portanto, ter TV no monitor após apenas alguns segundos.

Assim como no caso anterior, o conteúdo ao vivo pode ser localizado por meio dos próprios canais: basta acessar o site da emissora desejada. Caso possua uma conta ativa em operadoras de TV por assinatura, os canais fechados também podem ser acessados da mesma forma, em qualquer monitor.

Conversor digital

Conversores digitais são alternativas que não utilizam Internet e usam cabo coaxial (Imagem: Magazine Luiza)

Caso a conexão de Internet não seja confiável o suficiente para assistir os conteúdos da televisão sem travamentos, é possível utilizar o clássico cabo coaxial — aquele que traz extremidade circular e um pequeno filamento metálico na ponta.

Entretanto, os monitores não costumam trazer uma entrada compatível com esse tipo de cabo em sua construção. Por isso, é necessário utilizar um conversor digital semelhante a aqueles instalados em televisões de tubo por todo o Brasil.

Felizmente, esse tipo de produto costuma ter preços bem mais baixos em comparação com televisões novas — é possível comprar um conversor por cerca de R$ 100, ou menos dependendo das condições.

Para fazer o conversor funcionar, basta ligá-lo à tomada por meio da fonte que o acompanhará na caixa. Na sequência, é preciso conectar o cabo coaxial da antena na entrada correspondente localizada no painel traseiro do dispositivo.

É bastante importante que o conversor digital tenha uma porta HDMI, para que a imagem seja transmitida ao monitor. O cabo correspondente pode vir junto com o produto, mas ele também não costuma ser muito caro caso precise ser comprado separadamente. A partir do momento em que os três fios estiverem conectados (energia, antena e HDMI), a programação dos canais abertos já deverá estar disponível no monitor.

Grande parte dos monitores não possui alto-falantes internos embutidos, e por isso é recomendado que um speaker adicional também seja conectado ao painel. Para isso, basta utilizar a entrada 3,5 mm, quando ela estiver disponível — a fonte de som também precisará ser ligada a uma fonte de energia, por meio de cabo USB ou porta de alimentação.

Monitores antigos com entradas diferentes

Entradas de vídeo podem variar, especialmente em monitores antigos (Imagem: Wikipedia)

Mesmo que já tenha sido projetada inicialmente há quase 20 anos, a entrada HDMI não está presente em vários modelos mais antigos de monitor. Se esse for o caso, será necessário comprar um pequeno adaptador extra, bastando identificar a porta presente na tela que será transformada em TV.

Em geral, esses acessórios também não costumam ser muito caros.

Padrão VGA pode ser visto em diversos monitores (Imagem: Central Cabos)

VGA: o conector VGA possui um padrão de 14 ou 15 pequenos pinos alinhados, e travas nas laterais para auxiliar na fixação do cabo conectado. Adaptadores desta interface para o HDMI podem ser encontrados por menos de R$ 20, e é recomendado adquirir aqueles que trazem uma porta 3,5 para conexão de um cabo auxiliar — assim, alto-falantes ou dispositivos semelhantes podem ser conectados para emitir o som da TV.

Interface DVI também pode ser convertida com pequeno acessório (Imagem: KaBuM!)

DVI e DVI-D, Mini e Micro DVI: a interface DVI é parecida visualmente com a VGA, mas os pinos ficam agrupados para o lado direito. Este padrão possui muitas variações — como DVI Single Link, Mini DVI e Micro DVI —, e por isso é preciso identificar corretamente o adaptador certo antes de realizar a compra. De qualquer forma, o custo destes acessórios não costuma passar de R$ 30.

Portas AV são comuns em televisões de tubo (Imagem: Magazine Luiza)

AV/RCA: O cabo AV é um dos mais populares entre televisões antigas, e consiste em três cabos unidos com pontas nas cores vermelho, branco e amarelo — que transmitem os dois lados do aúdio (direito e esquerdo) e a imagem, respectivamente. Normalmente, o adaptador deste padrão para o HDMI custa menos de R$ 40.

Com essas rápidas etapas, será possível assistir diversos canais de televisão fechada ou aberta diretamente no monitor. Como visto, é possível obter a programação com ou sem a presença de uma conexão de Internet, bastando utilizar os aparelhos corretos para cada caso.



Veja mais