cacto-coração / hoya-kerrii – selvvva

Você já viu esses corações brilhando por aí. Talvez não exatamente como na foto, mas solitários em pequenos vasos, o que rende fãs e polêmicas para a nossa Plantado dia. 

Uma delas se dá por conta dessa forma de comercialização. Em geral, cada moradora é uma folha que foi enterrada com a promessa de crescer cheia de vida e nem sempre possui raízes desenvolvidas para dar origem a uma nova planta. 

Outra está ligada ao nome. Embora seja popularmente conhecida como cacto-coração, é na família das Apocynaceae que mora o seu DNA. Pouca gente imagina que ela seja uma flor-de-cera, mas chegue perto e você vai ver a folhagem gordinha e de textura aveludada.

Diferentemente da sua prima, hoya carnosa, essa trepadeira não é daquelas que têm fome de crescer, e pode levar anos para deixar de ser uma mudinha. Além disso, precisa de mais água para dar conta das folhas, maiores e carnudas.  

Epífita que é, cresce na natureza agarrada aos troncos, usando essas superfícies como apoio para garantir proteção e ganhar alguns centímetros de altura. Assim, quanto mais afastada do solo, mais longe dos predadores e perto da luz. Tudo sem retirar nutrientes da planta parceira.

De tempos em tempos, os buquês delicados apontam por aí. Mas se a planta-coração ainda não presenteou a sua Plantacom as pequenas estrelas perfumadas, está tudo certo. Pode levar anos até que elas apontem. 

Rega: 1x por semana, à meia-sombra; 2 a 3x por semana sob sol pleno. Confira nosso guia especial sobre rega. Aposte nos substratos para orquídeas ou samambaias.

Iluminação: meia-sombra ou sol pleno. Confira nosso guia especial sobre iluminação.

Procure saber como a sua hoya foi cultivada. Geralmente os produtores mantêm essa planta em estufas com iluminação filtrada em 50%. Por isso, antes de deixá-la em sol pleno, exponha-a gradativamente, mais e mais a cada semana. Durante esse processo, chamado de rustificação (saiba mais a respeito na nossa matéria especial sobre iluminação), algumas folhas provavelmente vão se queimar, mas persista e os brotos nascerão adaptados.

Outros nomes populares: cacto-coração, planta-coração, flor-de-cera

Problemas comuns:

Resistente, poucos problemas são capazes de derrubar essa guerreira, a não ser a presença de cochonilhas. Para protegê-la, cuide da adubação, aplique óleo de neem e fique atento às regas: a falta de água pode deixar a película que recobre galhos e folhas mais fina, mantendo a glicose da sua planta concentrada no interior dessas estruturas, um verdadeiro banquete para insetos indesejados. É importante também a observação frequente, assim você evita medidas mais drásticas para combater infestações, além das cicatrizes deixadas pelos invasores.

Folhas levemente enrugadas são sinal de que está faltando água por aí.  Já tons amarelados indicam que você pesou a mão na rega. Grandes e largas, essas estruturas costumam acumular pó. Use um pano seco ou umedecido para limpá-las e favorecer as trocas gasosas. 

Apesar de ser uma planta muito resistente, o frio pode deixá-la estressada, fazendo com que aborte parte da folhagem. Procure mantê-la sempre em um local protegido do sereno e de ventos gelados. 

Para ser presenteado com as pequenas flores, aposte em um ambiente à meia-sombra, bem iluminado, capriche nos nutrientes e aprecie o tempo da natureza.

Como usar: em cachepôs de diferentes portes ou explorando treliças e grades.

Dica da Selvvva: As regas variam de acordo com o ambiente, disponibilidade de luz, umidade do espaço, temperatura, recipiente onde a planta está acondicionada e espécie. As indicações acima são orientações para um primeiro contato com a sua planta, mas não uma fórmula definitiva. Preste atenção às respostas da sua espécie; assim você poderá dosar a água de acordo com as condições da sua planta. É importante não exagerar no volume de água! 

Continuar lendo >>