Aulas gratuitas ensinam como plantar alimentos e regenerar o solo

Jornada de Agrofloresta

– Publicidade –

A Agrofloresta é considerada a agricultura do futuro. É uma forma de cultivar alimentos sem uso de agrotóxicos e fertilizantes químicos e ainda regenerar o solo, transformando ambientes degradados em florestas.

Como isso é possível? A Jornada de Agrofloresta, com o permacultor Bento Cruz, vai mostrar como qualquer pessoa pode aplicar esta nova agricultura no quintal de casa ou em uma propriedade rural.

– Publicidade –

Para participar do evento online e gratuito, de 14 a 20 de junho, basta se inscrever gratuitamente pelo link abaixo. Serão 4 aulas ao vivo, que vão te ajudar a redesenhar a paisagem do seu terreno para transformá-la em um paraíso na Terra, ou seja, em ambiente abundante e cheio de vida. Você nunca mais vai olhar a natureza do mesmo jeito.

Para se inscrever, basta clicar neste link.

curso gratuito de agrofloresta

Programação da Jornada de Agrofloresta

  • 14 de junho, segunda, às 20h – Como viver em harmonia com a natureza
  • 16 de junho, quarta, às 20h – Como planejar e produzir comida sem veneno
  • 18 de junho – sexta, às 20h – Agrofloresta na prática
  • 20 de junho – domingo, às 20h – Programa de Mentoria em Agrofloresta

Agrofloresta

A Agrofloresta é uma nova forma de praticar agricultura que resgata os saberes ancestrais dos povos da floresta aliada às novas tecnologias. Com ela, aprendemos que é possível plantar comida sem veneno regenerando a Terra. Por isso a Agrofloresta tem se tornado um movimento de pessoas que buscam a reconexão junto à natureza.

curso de agrofloresta

A Jornada de Agrofloresta vai mostrar como é possível plantar no quintal de casa ou em uma propriedade rural, trazendo beleza, diversidade e abundância ao ambiente. Cada um de nós pode cultivar um mundo melhor. “A Agrofloresta parte do princípio de que todos fazemos parte da natureza. Todos somos a natureza”, Bento Cruz.

Quem é Bento Cruz

Já realizou cursos, oficinas, consultorias, mentorias para mais de 1000 alunos, que implantaram mais de 200 mil metros quadrados de florestas comestíveis. As aulas vão utilizar estudos de casos de alunos que implantaram diversos tipos de agroflorestas.

– Publicidade –

Continuar lendo