Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

Apple apresenta novas cores dos iPhones 13 e 13 Pro


Os aparelhos nas cores verde e verde-alpino chegam ao Brasil dia 8 de abril

Lembra quando a Apple lançava iPhones em cores comuns? preto e prata, basicamente. Depois, veio o dourado e, por fim, um arco-íris que inclui até cores mais chamativas e menos óbvias como vermelho e lilás. Os tempos de basiquinha definitivamente ficaram para trás. Este mês, a Apple anunciou as novas cores do iPhone 13 e 13 Pro: verde-alpino e verde.

Além das cores recém anunciadas, o iPhone 13 Pro e o iPhone 13 Pro Max estão disponíveis em cinco outras cores: azul-Sierra, grafite, dourado e prateado.

A linha de novos iPhones foi equipada com o chip A15 Bionic, um 5G potente, sistema de câmeras de última geração que melhoram absurdamente a qualidade de fotos e vídeos e, além desses predicados, uma bateria mais resistente. O iPhone 13 e o iPhone 13 Pro Max possuem tela Super Retina XDR com ProMotioN, o display mais avançado já usado pela Maçã. 

Nos Estados Unidos, as novas cores já começaram a ser vendidas, mas por aqui, os consumidores brasileiros precisarão esperar um pouco mais se quiserem adquirir um smartphone nessas cores. Eles chegam já já, dia 8 de abril. 

Quem tiver pressa, pode reservar um aparelho a partir do dia 1º de abril. Os preços partem de R$7.599 (128 GB), o 13 Mini, também na cor verde, custa R$ 6.374. Já o iPhone 13 Pro, pode ser adquirido por R$ 9.176 e o Pro Max, a partir de  R$10.142.

Eles estão disponíveis nos tamanhos de 6,1 e 5,4 polegadas e toda a linha é protegida pela parte da frente com Ceramic Shield, que de acordo com a Apple, é mais resistente que qualquer vidro utilizado em outro smartphone, além de ser resistente à água e à poeira.

Os novos smartphones da Maçã já saem de fábrica com o iOS 15.4 instalado. Nessa atualização do sistema operacional, a Apple realizou um pedido antigo dos usuários: o reconhecimento facial mesmo com o uso de máscara. A Apple tarda, mas não falha, né? A pandemia de coronavírus está entre nós há mais de dois anos. Nada mais justo que tomar medidas para garantir a proteção e a usabilidade do usuário – ainda que o acessório de proteção não seja obrigatório na maioria dos lugares e países.



Veja mais