Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

Animais do deserto! 5 espécies excêntricas que suportam altas temperaturas


Não é miragem! Alguns animais do deserto se destacam por suas habilidades que ajudam a suportar altas temperaturas. Para sobreviver a um ambiente tão árido, a natureza é capaz de encontrar recursos bem diferentes do convencional. Com isso em mente, trazemos cinco espécies excêntricas.

  • Os 10 animais mais bonitos do mundo
  • 7 animais que têm superpoderes dignos de heróis dos quadrinhos

Besouro-do-deserto

 

O besouro-do-deserto (Asbolus verrucosus) carrega consigo uma armadura natural. Sua carapaça ultrarresistente é a grande responsável por reter a umidade no deserto seco de Sonora (América do Norte), ajudando-o a sobreviver naquele ambiente. Para se ter uma noção, seu exoesqueleto é tão forte que não morre se um humano pisar nele.

Outra característica do animal é que, sob ameaça, esse besouro rola e se finge de morto. Vale notar, ainda, que sua dieta consiste em plantas e matéria orgânica em decomposição, e esse besouro raramente precisa beber.


Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!

Víbora-de-chifres

Víbora-de-chifres, um dos animais do deserto (Imagem: ethangabito/envato)

Sim, existe uma cobra chifruda. A víbora-de-chifres (Cerastes cerastes) costuma ser encontrada em regiões desérticas que abrangem o Saara, no lado ocidental da África, do Marrocos à Mauritânia, ao Egito e ao Sudão. Os chifres não estão lá por acaso: servem para escavar sob a areia, já que se dobram quando tocados, tornando mais fácil para a cobra se espremer em pequenas aberturas.

Escorpião-peludo-do-deserto

 

O escorpião-peludo-do-deserto (Hadrurus arizonensis) se destaca por diversos fatores: primeiro, porque é o maior da América do Norte, chegando a 17,8 cm de comprimento. Segundo, porque ele é capaz de literalmente brilhar sob luz ultravioleta (UV), por conta de compostos fluorescentes presentes no exoesqueleto.

A espécie costuma habitar os desertos de Sonora e Mojave, e a boa notícia — pelo menos para os humanos — é que o animal tende mais a fugir do que picar, e seu veneno é relativamente fraco. Ainda assim, não é algo que se queira encontrar durante uma viagem.

Peixe-do-deserto

 

Por essa você não esperava. Existe uma espécie de peixe que vive no deserto! Trata-se do Cyprinodon macularius, conhecido como Pupfish-do-deserto (ou apenas peixe-do-deserto), capaz de sobreviver em condições de água escassas. A espécie evoluiu para prosperar na água que flui através de regiões áridas, e pode ser encontrada no Lago Salton, na Califórnia (EUA) e no rio Colorado (México).

Adaptações especiais permitem que os filhotes sobrevivam apesar das condições que seriam mortais para a maioria dos peixes. Versátil, a espécie pode habitar águas muito quentes e com pouquíssimo oxigênio.

Diabo-espinhoso

 

A pele pontiaguda e os dois chifres grandes e escamosos na cabeça tornam o diabo-espinhoso uma visão assustadora, mas a menos que você seja uma formiga, não há nada a temer. O Moloch horridus é um pequeno réptil encontrado na Austrália, e se alimenta somente de formigas. Uma curiosidade é que as escamas tão excêntricas desse animal do deserto não servem apenas para proteção, mas também para canalizar a água para sua boca.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

  • Uma porta alienígena? Rover Curiosity registra intrigante formação em Marte
  • Qual açúcar é mais saudável para consumo?
  • Megaestruturas alienígenas ao redor de anãs brancas podem indicar civilizações
  • Explosão de anã branca é observada em “tempo real” pela primeira vez
  • Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (07/05 a 13/05/2022)



Veja mais