amd-traz-novidades-da-arquitetura-zen-4-e-aponta-para-futuro-hibrido-com-zen-4c

AMD traz novidades da arquitetura Zen 4 e aponta para futuro híbrido com Zen 4c

A AMD realizou nesta segunda-feira (8) evento em que anunciou uma série de novidades para o mercado de computação de alto desempenho (HPC) e servidores. Os maiores destaques foram os anúncios dos chips EPYC Milan-X, munidos da tecnologia 3D V-Cache de cache empilhado da companhia, além das GPUs Instinct MI200, primeiras do mundo a chegar ao mercado com design de múltiplos chips.

  • Linha AMD EPYC Turin com Zen 5 pode chegar a 256 núcleos e 600 W de consumo
  • AMD anuncia Radeon PRO V620 com chip de RX 6800 XT e foco em streaming de jogos

Antes de encerrar a apresentação, a gigante surpreendeu e trouxe as primeiras informações oficiais da microarquitetura Zen 4, que equipará a família EPYC Genoa, além de confirmar a existência dos núcleos Zen 4c com a família EPYC Bergamo, confirmando rumores e reforçando a possibilidade de que a companhia também pode apostar em uma arquitetura híbrida em breve.

EPYC Genoa com Zen 4 chega em 2022 com até 96 núcleos

Logo após concluir os anúncios dos chips EPYC Milan-X e das GPU Instinct MI200, a CEO da AMD, Dra. Lisa Su, surpreendeu e anunciou as primeiras informações oficiais da família EPYC Genoa, que estreará a nova microraquitetura Zen 4. A executiva confirmou que a empresa finalmente adotará a litografia de 5 nm da TSMC, desenvolvida em um esforço conjunto com a AMD para que optimizações fossem feitas para HPC.


CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.

O processo seria duas vezes mais denso que a atual litografia de 7 nm da fundição taiwanesa, e duas vezes mais eficiente em consumo de energia. Além disso, sua adoção proporcionaria um aumento de 25% no desempenho, números bastante ambiciosos e até mais avançados que os anunciados pela própria TSMC no passado.

Otimizado em uma parceria entre AMD e TSMC, o processo de 5 nm promete o dobro de densidade e eficiência com 25% mais desempenho (Imagem: Divulgação/AMD)

A família EPYC Genoa, em específico, promete assumir a liderança de performance no mercado em todos os segmentos que se propõe a atender, incluindo data centers, HPC e a nuvem pública.

A linha contará com até 96 núcleos e 192 threads, suportará memórias DDR5 e adotará barramento PCI-E 5.0, além da interface CXL, mais robusta, pensada para expansão de servidores com mais memória, aceleradores de processamento e mais. Além disso, as soluções trazem a suíte Infinity Guard completa, oferecendo todos os recursos de segurança da AMD a nível de hardware e software.

Com núcleos Zen 4 de 5 nm, a família EPYC Genoa trará até 96 núcleos, memórias DDR5, barramento PCI-E 5.0 e mais (Imagem: AMD/YouTube)

Lisa Su revelou ainda que a 4ª geração dos processadores EPYC está seguindo o cronograma, já sendo enviada para as fabricantes de servidores, e deve ter a produção em massa e o lançamento realizados ainda em 2022, mesmo que não haja datas mais específicas.

EPYC Bergamo chega a 128 núcleos Zen 4c e estreia em 2023

O ponto mais interessante da apresentação, no entanto, foi o anúncio da família EPYC Bergamo e dos núcleos Zen 4c, durante segmento dedicado à computação na nuvem. Os núcleos Zen 4c chegarão como uma variação dos núcleos Zen 4 tradicionais, estando focados em maiores eficiência energética e densidade de threads — o “c” refere-se a cloud computing, computação em nuvem em tradução livre.

Compatíveis com os núcleos Zen 4, os núcleos Zen 4c são focados na computação em nuvem, oferecendo altas densidade e eficiência (Imagem: Divulgação/AMD)

A ideia é reduzir o consumo e oferecer maior poder de processamento multi-core, pontos essenciais na computação em nuvem. Os núcleos Zen 4c trazem ainda uma hierarquia de cache repaginada, desenvolvida para turbinar o uso de múltiplas threads.

Apesar disso, essas soluções são totalmente compatíveis com software dedicado aos núcleos Zen 4, trazem os mesmos recursos, incluindo memórias DDR5 e barramento PCI-E 5.0, e trarão compatibilidade com o mesmo soquete, para garantir fácil transição.

Graças à maior densidade dos núcleos Zen 4c, a família EPYC Bergamo oferecerá até 128 núcleos, sem abrir mão dos recursos da microarquitetura Zen 4 (Imagem: Divulgação/AMD)

Os resultados podem ser vistos na família EPYC Bergamo, que quebrarão barreiras ao oferecer até 128 núcleos em um único soquete. A linha será oferecida ao lado da família EPYC Genoa, mas só deve estrear entre o final de 2022 e o início de 2023.

O anúncio confirma quase por completo o recente rumor divulgado pelo leaker Moore’s Law is Dead — a única diferença fica por conta da nomenclatura dos núcleos, que chegaram como Zen 4c, em vez do Zen 4D sugerido. Diante disso, é muito provável que os núcleos Zen 4c possam chegar aos consumidores comuns futuramente, em uma aposta da empresa em arquitetura híbrida para combater os avanços da Intel.

O leaker Moore’s Law is Dead já havia confirmado todos os detalhes da linha EPYC Bergamo e dos núcleos Zen 4c, errando apenas o nome oficial dos novos núcleos (Imagem: Moore’s Law is Dead/YouTube)

Segundo o leaker, os núcleos Zen 4c acompanharão núcleos Zen 5 na família Ryzen 8000, oferecendo maiores poder de processamento multi-thread e eficiência do primeiro, junto à elevada potência single-thread do segundo. Ainda que falte muito tempo para que a AMD realmente confirme qualquer informação sobre os chips Ryzen 8000, esperados apenas para 2023, as confirmações de hoje dão maior credibilidade ao informante.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

  • 7 animais assustadores que nem parecem obras da natureza
  • Qual a diferença entre mar e oceano?
  • A Terra gira rápido. Então por que não vemos estrelas como borrões no céu?
  • Mudança da Apple no iPhone 13 pode “mudar a indústria para sempre”, diz iFixit
  • Pronto, já inventaram um robô que aplica vacina sem usar agulha; veja!