Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

5 motivos para comprar o Chevrolet Cruze Midnight


O Chevrolet Cruze Midnight foi lançado em 2022 com a ideia de dar fôlego às vendas do sedan médio, que vêm caindo sucessivamente com o passar dos meses. A estratégia de dar uma nova roupagem e posicioná-lo como uma versão intermediária pode ser uma alternativa interessante para quem ainda se interessa pelo modelo da General Motors.

Mesmo com as já citadas vendas ruins, o Chevrolet Cruze é um produto extremamente equilibrado e competente, já que reúne tudo o que um sedan médio precisa: conforto, elegância e ótimo desempenho. Mas a variante Midnight pode te agradar por ainda mais coisas.

Com isso em mente, o Canaltech separou 5 motivos para você comprar um Chevrolet Cruze Midnight.

5. Design

Assim com fez com o Chevrolet Onix e a antiga geração do Chevrolet Tracker, a General Motors trabalhou bem no Cruze Midnight, sendo este o mais belo carro da montadora a levar essa roupagem escurecida. Sem abolir completamente os cromados, mas aplicando o black piano na medida certa, esse é, certamente, um modelo que chama atenção.

Na parte externa, as rodas diamantadas de 17 polegadas são o chamariz, pois trazem certa esportividade e casam bem com as linhas mais retas do três volumes da GM. Na cabine, porém, o cromado se apresenta como um belo contraste aos tons escuros do teto, painel e volante.

Há, também, alguns detalhes agradáveis, como as soleiras e badges pelo carro.

Não podemos negar: o Cruze Midnight ficou bonito demais (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

4. Conforto

Como bom sedan médio, o Chevrolet Cruze Midnight é um carro muito confortável, trazendo bom espaço interno e acerto de suspensão na medida para encara as ruas esburacadas do Brasil. Se você é pai ou mãe de família que precisa de um veículo espaçoso e que abrigue bem seus filhos e tralhas, esse pode ser o escolhido sem maiores problemas.

Isso pode ser justificado pelos ótimos 2,70m de entre-eixos e 440 litros de porta malas.

A vida dentro do Chevrolet Cruze Midnight é bem agradável (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

3. Conectividade

A Chevrolet fez o Cruze Midnight com base na variante LTZ do sedan, equipando o modelo com itens interessantes de tecnologia, como o 4G nativo e a compatibilidade com o OnStar, o serviço de monitoramento e recuperação veicular da General Motors.

O Cruze, aliás, foi o primeiro carro com Wi-Fi nativo do mercado brasileiro, quebrando paradigmas dentro da indústria automotiva e estabelecendo padrões que já são aplicados em muitos outros modelos de diferentes marcas.

O Chevrolet Cruze Midnight tem Wi-Fi 4G nativo para os ocupantes (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

2. Consumo

O ótimo motor 1.4 turbo de 153cv do Cruze Midnight é um trunfo não apenas por seu desempenho, mas também pelo seu consumo, que agradou bastante em nossos testes. Abastecido com gasolina, ele teve médias de 11 km/l na cidade e 15 km/l na estrada. Com o combustível no preço que está hoje, não dá para reclamar desse consumo, não é mesmo?

O ótimo câmbio automático de seis marchas ajuda no consumo do Chevrolet Cruze Midnight (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

1. Desempenho

O grande e principal motivo para comprar um Chevrolet Cruze Midnight é, sem dúvida, seu desempenho. O motor 1.4 turboflex de 153cv e 24,5 kgf/m de torque torna o sedan um carro extremamente agradável e ágil de ser guiado, fazendo o dia a dia ficar mais agradável e sem contratempos.

Na cidade, sua saída rápida torna as coisas muito dinâmicas, enquanto na estrada podemos adotar diferentes estilos para aproveitar o carro, seja pisando fundo ou simplesmente aproveitando a viagem. Em nossos testes, o 0 a 100 km/h foi feito em 9,1 segundos.

Além disso, algo que ajudou no desempenho e experiência de uso foi a dirigibilidade do Cruze, que se mostrou bem acertada tanto para quem busca um pouco de esportividade ou prefere o uso mais brando do veículo. isso fica evidenciado pelo acerto da direção elétrica e do câmbio automático de seis velocidades.

Todas as versões do Chevrolet Cruze são turbo (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)



Veja mais